Dicas para os pais

Disciplina e Educação

De repente, no melhor do sono, toca o despertador. É hora de levantar para ir à escola ou ao trabalho.

Não é raro que, exatamente neste instante, se trave uma batalha importantíssima. De um lado, o sono, a preguiça, o desejo de continuar deitado sonhando com todo tipo de situações gostosas. De outro, a noção do dever, da obrigação, do compromisso assumido. A vontade mostra uma direção; a razão aponta o oposto.

Disciplina, em minha opinião, é a capacidade que permite à razão ser mais forte e vencer nossas vontades e nossa preguiça. É porque desenvolvemos essa qualidade que conseguimos fazer exercícios maçantes todos os dias na mesma hora; que evitamos comidas com muitas calorias ou prejudiciais à saúde; que nos faz abrir mão de coisas materiais para poupar e atingir um objetivo maior. Pessoas disciplinadas conseguem estudar quando, na verdade, estavam com vontade de assistir à televisão ou bater papo com os amigos.

Não resta a menor dúvida: os disciplinados terão maiores chances de sucesso nas atividades às quais se dedicarem. Entre talento e disciplina, é melhor ter os dois. Porém, a longo prazo, esta última é mais importante. Mas precisa ser conquistada.

É verdade que há pessoas que aceitam melhor as contrariedades. Essa capacidade de aceitação aumenta à medida que se desenvolvem a linguagem e o raciocínio lógico. Ambos nos ajudam a compreender por que nossas vontades nem sempre podem ser satisfeitas. Aprendemos a suportar melhor a dor.

A principal tarefa da educação, especialmente durante os primeiros anos de vida, seja desenvolver a razão e suas forças com o intuito de sermos capazes de 'domesticar' nossas vontades. Uma visão equivocada da psicologia nos levou, nas últimas décadas, a privilegiar o livre exercício do desejo. O papel da razão – freio limitador dos impulsos – foi encarado como algo repressivo e negativo. Além disso, os pais, com medo de traumatizar os filhos e de perder o amor deles, têm fugido da tarefa, às vezes desagradável, de estabelecer limites e estimular as crianças a usar com eficiência a razão para dirigir suas vidas.

Na educação infantil, essa é a tarefa número um dos pais. Ao aprender a utilizar a razão em benefício próprio, a criança e depois o adulto experimentam enorme satisfação quando se sentem disciplinados. Sim, porque é nestes momentos que nos consideramos animais mais sofisticados, que definimos com propriedade de racionais.

A alegria íntima de quem se levanta cedo, faz exercícios e chega na hora certa aos compromissos assumidos é algo que não pode ser subestimado. Sentimo-nos fortes quando conseguimos nos controlar – coisa muito difícil. Sentimos que vencemos a batalha mais árdua: a interior. A autoestima cresce. E para que nossos filhos experimentem todas essas sensação tão boa, deve lhes ensinar, desde cedo, a abrir mão de suas vontades, sempre que a razão assim achar conveniente e útil.

 

Texto original de Flávio Gikovate

Tudo o que Hoje Preciso Realmente Saber, Aprendi no Jardim de Infância.

A sabedoria não se encontrava no topo de um curso de pós-graduação, mas no montinho de areia da escola de todo dia.

Estas são as coisas que aprendi lá:

  1. Compartilhe tudo;

  2. Jogue dentro das regras;

  3. Não bata nos outros;

  4. Coloque as coisas de volta onde pegou;

  5. Arrume sua bagunça;

  6. Não pegue as coisas dos outros;

  7. Peça desculpas quando machucar alguém;

  8. Lave as mãos antes de comer e agradeça a Deus antes de deitar;

  9. Dê descarga. (esse é importante);

  10. Biscoitos quentinhos e leite fazem bem para você;

  11. Respeite o outro;

  12. Leve uma vida equilibrada: aprenda um pouco, pense um pouco...desenhe... pinte... cante... dance... brinque... trabalhe um pouco todos os dias;

  13. Tire uma soneca a tarde; (isso é muito bom);

  14. Quando sair, cuidado com os carros;

  15. Dê a mão e fique junto;

  16. Repare nas maravilhas da vida;

  17. O peixinho dourado, o hamster, o camundongo branco e até mesmo a sementinha no copinho plástico, todos morrem... nós também.

Pegue qualquer um desses itens, coloque-os em termos mais adultos e sofisticados e aplique-os à sua vida familiar, ao seu trabalho, ao seu governo, ao seu mundo e ai verá como ele é verdadeiro claro e firme.
Pense como o mundo seria melhor se todos nós, no mundo todo, tivéssemos biscoitos e leite todos os dias por volta das três da tarde e pudéssemos nos deitar com um cobertorzinho para uma soneca.
"É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem souber ver".
Há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica, mas toda mágica é ilusão.
E a ilusão não tira ninguém do lugar onde está.
Ilusão é combustível de perdedores.
Quem quer fazer alguma coisa encontra um meio.
Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa.
A hora é agora! Impossible is nothing!
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar...
Desconfie do destino e acredite em VOCE.
"Metas são sonhos com data marcada pra serem realizados."


Texto de Robert Fulghum

Dicas para melhorar o aprendizado de matemática

  1. Resolva os exercícios, caso tenha dúvidas, nunca peça a outra pessoa para fazê-los, apenas peça explicações
     

  2. Leia os enunciados mais de uma vez para compreender o que é pedido. Nem sempre compreendemos tudo na primeira leitura. Se for possível, destaque os dados mais importantes;
     

  3. Quando surgir alguma dúvida durante a resolução de exercícios, volte ao enunciado;
     

  4. Ao resolver problemas, leia observando o que deve ser feito para solucioná-los, anotando os dados;
     

  5. Confira sempre as anotações;
     

  6. Procure relacionar as matérias com situações do dia a dia;
     

  7. Confira se está tudo feito de acordo como enunciado e se há questões sem fazer;
     

Fonte: Tribuna do Norte