A importância do brincar

November 26, 2018

 

Brincar é uma das atividades mais importantes da infância, pois é através deste ato que a criança pode satisfaz seus desejos. Durante as brincadeiras a criança exercita suas capacidades de imaginação, coordenação motora, seus sentidos, instintos e a habilidade de se relacionar: aprende a ganhar, a perder, opor-se, expressar suas vontades e anseio, negociar, pedir, recusar, compreender que não é um ser único e que precisa viver em grupo respeitando regras e opiniões contrárias a sua. Para fortalecer as relações sociais nada melhor que brincar com amiguinhos na escola ou na pracinha, quando pais e educadores participam das brincadeiras, junto com as crianças, reforça os vínculos afetivos e podem, com isso entrar no mundo delas, fazendo com que aprendam algo novo com muita facilidade.

 

 

 

 

O processo de criação de brincadeiras é normalmente muito positivo para o desenvolvimento infantil, assim a criança se expressa e vivencia suas emoções, porém como as crianças são muito inventivas e ainda não possuem algumas noções básicas é fundamental ter sempre a supervisão de um adulto  que garanta sua integridade física e moral.

 

Os brinquedos por si só não tem a capacidade de delimitar o pensamento infantil, contudo é bom que a criança possa fazer escolhas de acordo com seus interesses. Apresentar as diferenças entre as pessoas para as crianças é muito importante e deve ser bem trabalhada pela família e pela escola para garantir uma boa adaptação social.

Os brinquedos educativos podem aguçar a percepção visual, auditiva e o tato, ainda desenvolve habilidades de coordenação motora, memória, raciocínio lógico, matemático e linguístico.

 

Dentro da escola a psicopedagogia deve contribuir para os processos de aprendizagem e suas dificuldades junto à instituição e aos alunos, sejam estes, crianças, adolescentes ou adultos, como também apto para assessorar professores e pais de alunos. Busca ainda, compreender a identidade da instituição; os processos do autoaprendizagem na medida em que este influencia o desempenho escolar do aluno; as dificuldades de aprendizagem e suas interações nas práticas pedagógicas e no rendimento escolar.

 

Os pais devem ficar atentos ao desenvolvimento de seus filhos em cada fase de sua vida, hoje há muita informação na internet sobre o desenvolvimento infantil, mas fica fácil observar se há algum déficit na comparação com outras crianças com a mesma faixa etária. Normalmente a escola sinaliza para os pais sobre o mau comportamento ou o mau desempenho escolar e sugere que os pais procurem um profissional para uma avaliação. É muito comum os problemas surgirem na fase de alfabetização período de grande ansiedade para a família e para a criança. O quanto antes a avaliação for feita mais rapidamente o problema será solucionado.

 

Toda criança gosta e não pode ficar sem de brincar. Existem brincadeiras adequadas para cada faixa etária da pessoa.

·Os brinquedos até os 6 meses de idade se resumem no tato, no contato, no sentir da coisa. Contato físico com as mãos, contato visual, contato paladar, contato auditivo.

·Depois, as cores adquirem importância maior.  Damos preferência a objetos de cores vivas. De sons refinados. De formas interessantes.

·Depois de 1 ano de idade, ganha importância os movimentos, carrinhos, bonecas que mexem, sequencia de sons (música).

·Depois, aqueles que exercitam a imaginação, a criatividade, a inventividade.

Em cada faixa etária, a criança irá se interessar por determinados tipos de brincados. Depois de superada uma fase, aquele brinquedo que tanto a motivou deixa de ter graça.

Os brinquedos e as brincadeiras se revestem de certas características de tal forma que através dele a criança pode aprender praticar e aperfeiçoar determinados aspectos de sua personalidade. Brincar é uma mais que uma lição, é um conjunto de experiências de vida, muito rica, muito proveitosa e muito necessária para o desenvolvimento infantil.

 

O papel da escola na relação das crianças com as brincadeiras é assegurar um ambiente seguro, amistoso, agradável e motivador, com profissionais qualificados para fazer a mediação entre uma criança com as outras crianças e a criança com os brinquedos.

Sim, é muito importante associar brincadeiras ou brinquedos na fase da educação tradicional, por meio delas o aprendizado será prazeroso e eficaz.

Brincando a criança educa sua sensibilidade para contemplar seus empenho e tentativas, o prazer que atinge quando consegue finalizar uma tarefa (montar um quebra-cabeça ou pegar o colega) faz com que se sinta realizada por atingir uma meta, levando-a a autoestima. A brincadeira desafia a criança e a leva alcançar níveis de realização acima daquilo que ela pode conseguir normalmente.

 

Em tempos de crianças cada vez mais voltadas a tecnologia, a importância dos pais mostrarem brincadeiras de sua infância para os filhos vai além de favorecer os laços afetivos, as brincadeiras do passado são muito ricas e divertidas, darão oportunidade de boas experiências às crianças.

 

Toda criança precisa brincar para crescer feliz e saudável.

 

 

As faixas indicativas para brinquedos não limitam as brincadeiras das crianças. Em nosso país este critério é feito através de um processo de certificação, para garantir a segurança da criança, porém mesmo que o produto tenha sido avaliado e certificado, não exime o fabricante da responsabilidade pela sua qualidade e também os pais pelo seu uso adequado.

 

 

Alguns cuidados sugeridos pelo órgão certificador – Inmetro:

 

a) No ato da compra, exigir o selo de identificação da conformidade ou selo de certificação. Ele demonstra que o produto atente a requisitos mínimos de segurança estabelecidos em normas e regulamentos.

 

b) Não comprar produtos no comércio informal, mas sim no comércio legalmente estabelecido. Os produtos comprados no comércio informal, geralmente mais baratos, na quase totalidade dos casos são produtos irregulares, falsificados e, apenas como exemplo, podem conter substâncias tóxicas na sua composição. Exija sempre a nota fiscal do estabelecimento onde comprou para que haja responsabilidade social em caso de acidente ou defeito no produto.

 

c) Antes de entregá-los às crianças, leia atentamente as instruções de uso, que orientam quanto ao uso seguro do produto. Cuidados especiais devem ser observados na retirada das embalagens, que podem ter grampos metálicos, papéis com tintas inadequadas,  etc.

 

d) Particularmente para brinquedos, deve ser dada atenção à faixa etária recomendada para o produto. Peças pequenas, em especial, são muito perigosas se usadas por crianças com idades inadequadas. Cabe total atenção nos lares onde existam crianças com diferentes faixas etárias.

 

Ester Chapiro, Psicopedagoga da Central de Professores

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Você cobra boas notas do seu filho? Cinco passos para ajudar seu filho a lidar com as pressões escolares.

June 9, 2019

1/7
Please reload

Posts Recentes